Bem-estar e Saúde Cerveja Coisas Legais de Saber

Cerveja hidrata igual à água após prática de esportes

Uma quantidade moderada de cerveja “não prejudica a hidratação após o exercício”. Tomar cerveja seria “a mesma coisa que tomar água”.

O consumo moderado de cerveja após exercícios físicos é tão eficaz quanto a água para a hidratação. Pode parecer bobagem para alguns, mas é a conclusão que especialistas médicos chegaram após o VI Simpósio Europeu de Cerveja e Saúde.

O pesquisador Manuel Castillo, da Universidade de Granada, expôs os resultados de um estudo que consistiu em medir a reação do corpo à ingestão de água ou cerveja após a realização de esforço físico intenso.

A conclusão foi de que uma quantidade moderada de cerveja “não prejudica a hidratação após o exercício“. Tomar cerveja seria “a mesma coisa que tomar água“, por isso é recomendado o consumo da bebida fermentada a todas as pessoas que não tenham nenhuma contraindicação.

Não foi encontrado nenhum efeito negativo que pudesse ser atribuído à ingestão de cerveja em comparação com a ingestão de água.

O médico Ramón Estruch, do Hospital Clínico de Barcelona, afirmou que os resultados dos estudos mostram que o consumo moderado de cerveja “ajuda na prevenção de acidentes cardiovasculares, graças aos efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios das artérias”.

Além disso, proporciona proteção contra fatores de risco cardiovascular, como diabetes, melhora a pressão arterial, regula o colesterol e previne a arterioesclerose, segundo a pesquisa. Estruch informou que atualmente estão sendo feitas pesquisas para determinar se os benefícios da cerveja com álcool são maiores que os da cerveja “sem”, embora haja indícios de que a primeira tem efeitos mais positivos.

Maria Teresa Fernandez Aguilar, pesquisadora da Agência da Saúde de Valência, informou sobre os efeitos benéficos da cerveja sem álcool para as mães lactantes. Ela citou o estudo que demonstrou que crianças amamentadas por mães que consumiram duas cervejas sem álcool durante a lactação têm menos possibilidades padecer de doenças como câncer e arteriosclerose, devido à transmissão dos componentes antioxidantes de bebida.

Maria Fernandez afirmou que a cerveja sem álcool seria mais recomendável que outras bebidas gasosas com base química.

Durante as conferências será apresentado outro estudo que descarta que exista “qualquer relação” entre o consumo da bebida e a tendência a desenvolver “barriga de chope”.

Compartilhe nas redes sociais:

Deixe um Comentário