Síndrome de Burnout | 8 sinais de que você pode estar esgotado

Você está aqui:Início-Bem-estar e Saúde, Carreira, Comportamento-Síndrome de Burnout | 8 sinais de que você pode estar esgotado

Diante de um mercado cada vez mais exigente, é fácil identificar estresse entre os profissionais, independentemente da área de atuação ou cargo exercido. E é preciso lembrar também de outros fatores que contribuem com essa condição, como o trânsito e problemas com as finanças pessoais.

Tudo isso pode provocar a síndrome de burnout ou síndrome do esgotamento profissional, um estado de estresse e tensão emocional crônicos, causados por condições físicas, emocionais e psicológicas completamente exaustivas.

No artigo de hoje, listo oito sinais para você ficar alerta; afinal, você pode estar perto de um esgotamento profissional.

Os sinais de que você pode estar com a Síndrome de Burnout

Normalmente, a síndrome de burnout surge quando há conflitos, sobrecarga de responsabilidades, pressão por resultados, situações de risco e relações interpessoais complexas. E são dois os fatores colaboram muito para o esgotamento:
1. Desequilíbrio entre a vida profissional e pessoal;
2. Ambiente de trabalho desfavorável, com uma gestão restritiva, falta de colaboração e metas superdimensionadas.

Para evitar ou cuidar da síndrome de burnout, é importante conhecer os sintomas e se atentar para alguns comportamentos. Conheça os principais sinais do esgotamento:

Agressividade e descontrole

Um dos sinais clássicos da síndrome de burnout é a agressividade e o descontrole emocional. Explosões e constante impaciência passam a afetar negativamente o ambiente de trabalho, causando conflitos. O esgotamento profissional impede um julgamento claro sobre a seriedade das situações.

Cansaço crônico

O cansaço extremo também é sintoma do desgaste mental. Trata-se de uma sensação de exaustão permanente, que não é aliviada com os fins de semana, por exemplo.

Apatia

O esgotamento impacta diretamente na motivação pelo trabalho. Tudo passa a ser obrigação, gerando descontentamento, frustração, além da falta de interesse e de comprometimento com as próprias responsabilidades.

Baixa produtividade

Outro sinal importante é a queda na produtividade. O profissional deixa de atingir suas metas, devido a uma performance inferior. Com o tempo, esse sintoma provoca um sentimento de incapacidade, o que afeta também a autoestima e a autoconfiança.

Isolamento

O esgotamento favorece o isolamento, de modo que o profissional prefira estar sempre sozinho, fugindo de trabalhos em equipe, reuniões e eventos, inclusive sociais.

Má alimentação e problemas de saúde

A síndrome de burnout também provoca impactos na alimentação e na saúde física dos profissionais, que passam a adotar dietas menos saudáveis e sem uma rotina de horários. O sistema imunológico sofre alterações, permitindo que algumas doenças se tornem frequentes, como gripes, resfriados, enxaquecas e dores no estômago.

Ansiedade e dificuldade de concentração

O esgotamento provoca ansiedade e dificuldade de concentração. Esse comportamento está ligado à falta de paciência e ao desiquilíbrio emocional. A perda do foco também atrapalha muito o desempenho do profissional.

Depressão

O quadro mais grave do esgotamento é a depressão, quando o profissional chega ao seu limite e, muitas vezes, fica impedido de retomar por si só o controle de suas rotinas. Esse caso exige um tratamento bastante especializado.

Como evitar e tratar o esgotamento

O diagnóstico do esgotamento deve estar baseado em exames psicológicos detalhados e, também, em uma análise profunda sobre os impactos causados pelas atuais condições de trabalho, no comportamento e na saúde do profissional.

Nesse sentido, é fundamental que um especialista seja capaz de verificar todos os aspectos, como a afinidade com a profissão e atividades exercidas no dia a dia, a interferência do ambiente de trabalho e os próprios sintomas apresentados.

Para evitar ou tratar o esgotamento, é preciso ter disciplina e adotar algumas práticas simples, como incluir na agenda:
• Atividades físicas regulares;
• Práticas de relaxamento;
• Hábitos alimentares mais saudáveis;
• Momentos de lazer com a família e amigos;
• Realizar novos cursos;
• Investir em networking;
• Ter hobbies como leitura, música e cinema.

A estabilidade depende do alinhamento entre todos esses fatores e com o exercício constante, é possível fugir definitivamente do esgotamento, conquistar mais qualidade de vida, motivação, novas perspectivas e ainda, uma carreira bem-sucedida.

Você está perto do esgotamento? Quais são as suas dicas para lidar melhor com o estresse do cotidiano? Conte nos comentários!

2020-02-20T14:48:51-03:0020 fevereiro, 20|Bem-estar e Saúde, Carreira, Comportamento|

Deixar um comentário

Ir ao Topo