Coisas Legais de Saber Dicas Livros

4 livros que são clássicos do vestibular

Confira nossa lista dos 4 livros que são clássicos do vestibular e não deixe seus estudos dessas obras para a última hora!

Ao se preparar para as provas de vestibular, a maioria dos processos seletivos, em suas provas de Português, requerem que o aluno tenha lido um ou mais livros que são clássicos da Literatura nacional. Você já se perguntou por que alguns livros são tão recorrentes nas grades curriculares do ensino médio? A maioria dos colégios já se antecipa aos editais dos vestibulares e expõe seus alunos a vários títulos, antes mesmo que eles sejam cobrados. Que tal fazer o mesmo? Confira nossa lista dos 4 livros que são clássicos do vestibular e não deixe seus estudos dessas obras para a última hora! Confira:

“Vidas Secas”, Graciliano Ramos

Esse clássico de Graciliano Ramos, publicado em 1938, conta a história de uma família de retirantes que tenta sobreviver à seca no Nordeste. A história de Fabiano e de sua família retrata as péssimas relações de trabalho, de exploração da terra e de sofrimento com as condições climáticas da região. Fabiano, o principal personagem, era diferente de outros sertanejos, porque sabia que era explorado e acreditava que, se fosse melhor educado, teria melhores condições de se impor socialmente. Graciliano Ramos pertencia à segunda geração modernista e procurou, por meio dessa obra, realizar uma denúncia e propor transformações sociais.

“Macunaíma”, Mário de Andrade

“Macunaíma” foi escrito em 1928 por Mário de Andrade, importante autor modernista. O personagem principal é o anti-herói de origem indígena, que nasce na Amazônia. Após diversas aventuras na floresta, Macunaíma vai à cidade de São Paulo em busca da muiraquitã, um amuleto deixado por sua mulher. Esses eventos são seguidos por diversos contratempos, choques culturais e uma imersão em várias outras regiões do Brasil em busca da pedra verde. Além de familiarizar os leitores com a cultura e a mitologia indígena, o objetivo do livro é, sob uma perspectiva modernista, valorizar a temática genuinamente nacional também na Literatura.

“Memórias póstumas de Brás Cubas”, Machado de Assis

Essa obra é um dos principais livros publicados por Machado de Assis. “Memórias póstumas de Brás Cubas” retrata, de forma inusitada, as lembranças de um narrador que encontra-se morto. A ideia ousada de Machado de Assis para a época em que o livro foi publicado (1881) dá origem a uma série de relatos sobre a vida de Brás Cubas, os costumes do século XIX e as ideologias do Brasil imperial. Por meio desse livro, o autor procura criticar os vários privilégios da elite carioca, seus pecados (adultério, ganância, exploração das classes sociais inferiores, entre outros) e frustrações. A forma de escrever de Machado de Assis é extremamente rica e enigmática, já que ironia e sarcasmo compõem a maioria de suas obras.

“Os sertões”, Euclides da Cunha

Euclides da Cunha era engenheiro e republicano. Suas obras retratam o Brasil como uma nação em processo de formação, ainda incompleta. Em “Os sertões”, ele mistura Sociologia, Geografia, Psicologia e outras ciências em sua tentativa de explicação do conflito da região de Canudos, liderado pelo líder messiânico Antônio Conselheiro. O autor foi enviado como jornalista pelo jornal O Estado de S. Paulo à região para cobrir o conflito em 1897. Em 1902 ele publicou “Os sertões”, uma coleção de relatos sobre a guerra de Canudos. O autor demonstra como eram desiguais as condições do conflito, reconhecendo a força de resistência dos sertanejos, apesar das adversidades. O livro propõe uma crítica à elite política do país, insensível aos dramas sociais do sertão brasileiro.

E então? Pronto para começar as leituras? Aposte nesses títulos e prepare-se já para o vestibular! Dúvidas e sugestões de outros títulos? Deixe aqui seu comentário!

Compartilhe nas redes sociais:

1 Comentário

Deixe um Comentário