Anúncios Brindes Embalagem Produtos

10 propagandas de cocaína, heroína e outras drogas proibidas

Propagandas de cocaína, heroína e outras drogas proibidas do final do século 19, quando a comercialização desses “medicamentos” não eram legalmente proibida

Até o final do século 19 comprar cocaína, morfina e até heroína não era legalmente proibido. Essas substâncias eram vistas como remédios quando foram descobertas pelos fabricantes de medicamentos.

Hoje me deparei com essas 10 peças publicitárias antigas que serviam justamente para divulgar esses “medicamentos”. São anúncios, embalagens e até brindes. Se prestar atenção aos fabricantes, verão que alguns deles são conhecidos até hoje.

1 – Ópio para bebês recém-nascidos

Ópio para recém-nascidos

Antigamente para aquietar bebês recém-nascidos não era necessário um grande esforço dos pais, mas sim, ópio. Esse frasco de paregórico (sedativo) da Stickney and Poor era uma mistura de ópio de álcool que era distribuída do mesmo modo que os temperos pelos quais a empresa era conhecida.

“Dose – [Para crianças com] cinco dias, 3 gotas. Duas semanas, 8 gotas. Cinco anos, 25 gotas. Adultos, uma colher cheia.”

O produto era muito potente, e continha 46% de álcool.

2 – “Drops de cocaína para dor de dente – Cura instantânea”

Drops de Cocaína

Dropes de cocaína para dor de dente (1885) eram populares para crianças. Não apenas acabava com a dor, mas também melhorava o “humor” dos usuários.

3 – Tablete de Cocaína (1900)

Tablete de Cocaína

Estes tabletes de cocaína eram “indispensáveis para cantores, professores e oradores”. Eles também aquietavam dor de garganta e davam um efeito “animador” para que estes profissionais atingissem o máximo de sua performance.

4 – Ópio para Asma

Ópio para Asma

Esse National Vaporizer Vapor-OL era indicado “Para asma e outras afecções espasmódicas”. O líquido volátil era colocado em uma panela e aquecido por um lampião de querosene.

5 – Glico-Heroína

Glyco Heroin

Propaganda de heroína da Martin H. Smith Company, de Nova York. A heroína era amplamente usada não apenas como analgésico, mas também como remédio contra asma, tosse e pneumonia. Misturar heroína com glicerina (e comumente açúcar e temperos) tornada o opiáceo amargo mais palatável para a ingestão oral.

6 – Peso de Papel

Peso de Papel - Brinde de fornecedor de Cocaína

Um peso de papel promocional da C.F. Boehringer & Soehne (Mannheim, Alemanha), “os maiores fabricantes do mundo de quinino e cocaína”. Este fabricante tinha orgulho em sua posição de líder no mercado de cocaína.

7 – Maltine

Vinho de Cocaína

Esse vinho de coca foi feito pela Maltine Manufacturing Company de Nova York. A dosagem indicada diz: “Uma taça cheia junto com, ou imediatamente após, as refeições. Crianças em proporção.”

8 – Vinho Mariani

Vinho Mariani

O Vinho Mariani (1865) era o principal vinho de coca do seu tempo. O Papa Leão XIII carregava um frasco de Vinho Mariani consigo e premiou seu criador, Angelo Mariani, com uma medalha de ouro.

9 – Vinho de coca

Coca Wine

O vinho de coca da Metcalf era um de uma grande quantidade de vinhos que continham coca disponíveis no mercado. Todos afirmavam que tinham efeitos medicinais, mas indubitavelmente eram consumidos pelo seu valor “recreador” também.

10 – Heroína da Bayer

Heroína da Bayer

Um frasco de heroína da Bayer. Entre 1890 a 1910 a heroína era divulgada como um substituto não viciante da morfina e remédio contra tosse para crianças.

Compartilhe nas redes sociais:

1 Comentário

Deixe um Comentário