Comerciais de TV Legislação

Publicidade infantil | Rede de fast food Giraffas é notificada

girafa

A DPZ criou, o Giraffas aprovou e a Alana notificou. O atual comercial, veiculado em rede nacional, da rede de fast food Giraffas foi considerado abusivo pelo Projeto Criança e Consumo do Instituto Alana que enviou uma notificação à empresa pedindo que o mesmo deixe de ser veiculado no prazo de 10 dias.

Segundo a ONG o comercial “Já Peguei” utiliza “elementos do universo infantil, como fantoches, trilha sonora e cores chamativas, embora o texto falado da peça publicitária não seja apropriado para o público infantil. Isso se verifica, por exemplo, na utilização de expressões como ‘já peguei’ relacionadas ao gênero feminino, que é tratado como um produto exposto no cardápio”

O Instituto Alana também considera que o anúncio do “Gira Cornetas” apresenta elementos que “demonstram direcionamento para o público infantil e incentivam o consumo de produtos alimentícios que podem levar a criança a desenvolver sobrepeso ou mesmo obesidade, quando consumidos em excesso”.

Caso a empresa não se pronuncie, o Instituto informa que denunciará a ação publicitária “aos órgãos competentes”.

Clique no botão play baixo para assistir ao comercial [se você está lendo pela newsletter enviada por email ou via Feed/RSS, clique aqui para assistir]:

Compartilhe nas redes sociais:

3 Comentário(s)

  • Amo esta propaganda! MAs estava estranhando mesmo que ninguém tinha colocado nenhum defeito. Sempre que vi esta propaganda foi a noite, então não achei que fosse direcionada para crianças…

  • aos publicitários trogloditas e animas que não tem nem um pingo de ética e discernimento, alguns trechos do documentário CRIANÇA, A ALMA DO NEGÓCIO de ESTELA RENNER lançado em 2008.
    O que me anima é saber que “profissionais” como esses, logo, logo estarão desempregados e desmoralizados no mercado e na sociedade, pois o ser humano autodestrutivo logo entra em extinção… se não entrarmos todos antes, claro…
    —————————————————————-
    O ENCURTAMENTO DA INFANCIA
    É UM MODELO PERVERSO
    DE DESTRUIÇÃO DA ESTRUTURA DE VIDA NA TERRA .
    O publicitário que se vale da inexperiência da criança para transformado no promotor de seu produto dentro de casa não fere só regras claras do direito, mas também viola princípios éticos e morais fixados pela nossa sociedade. NÃO SE QUER A UTILIZAÇÃO E A MANIPULAÇÃO DA CRIANÇA PRA NADA!
    —————————————————————-
    80% da publicidade de alimentos dirigidas às crianças são alimentos:
    – CALÓRICOS
    – com alto teor de AÇÚCAR
    – com alto teor de GORDURA
    – pobres em NUTRIENTES

    Fonte: ANVISA (2006)
    —————————————————————-

    CENSURA?
    O discurso publicitário é comercial!
    não pode gozar da mesma proteção de um discurso político, religioso, científico..

    A BUSCA EXCLUSIVA DO LUCRO É UMA AFRONTA À ETICA

    A criança não pode ser considerado pela propaganda como um adulto. Ou um adulto em miniatura.

    Bonecas antigamente era uma brincadeira maternal. Hoje em dia a brincadeira é a projeção.
    as meninas não são a mãe da Barbie! São crianças levadas a viver uma vida imaginária de adultos, porém imaturas, sem discernimento… e nunca amadurecem.
    —————————————————————-

    Não refletir sobre a infância,
    como sugerem os publicitários avessos à ética e os limites legais,
    é desconsiderar o futuro da humanidade.
    —————————————————————-
    a quem interessar, o link do documentário:
    http://video.google.com/videoplay?docid=-5229727692415880368&hl=pt-BR

  • Sou publicitário e é ridículo esse comercial. A DPZ coloca uma voz de canalha na girafa, que pertence ao universo infantil e faz a girafa falar “essa eu ainda tô comendo”? Aí quando tiram o comercial da TV, falam que as pessoas são antiquadas e precisam abrir a mente. A agência é que precisa ter mais criativdade. Se gostam de apelo sexual para ser engraçados, podem ir para a Praça é Nossa. Lá, se sentirão muito bem com todo esse mal gosto.

Deixe um Comentário