Offtopic

88 anos. Parabéns à Portuguesa de Desportos – LUSA.

Em 14 de agosto de 1920, surgia a ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ESPORTES, através da fusão de cinco clubes já existentes: Luzíadas Futebol Club, Associação 5 de Outubro, Esporte Club Lusitano, Associação Atlética Marquês de Pombal e Portugal Marinhense.

O pedido de filiação da Portuguesa à Associação Paulista de Esportes Atléticos (APEA) foi deferido no dia 2 de setembro de 1920, mas, como não havia mais tempo para a inscrição no campeonato daquele ano, a Portuguesa fundiu-se ao Mackenzie, já inscrito, e participaram juntos do campeonato de 1920.

A Associação Atlética Mackenzie foi o primeiro clube de futebol brasileiro. Fundada em 1898 por estudantes do Mackenzie College, era formada apenas por alunos do colégio. A Portuguesa-Mackenzie disputou os certames pela APEA até 1922.

Em 1923, a Associação Portuguesa de Esportes desligou-se do parceiro e passou a disputar jogos com sua nova denominação. Foi em 1940 que o clube recebeu o atual nome ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTOS, com sede da Rua Cesário Ramalho.

1935: Primeiro título paulista
Este título marcou a consolidação da Portuguesa como um dos grandes clubes paulistas. Com uma campanha impecável, onde a Rubro Verde somou 76 da pontuação máxima possível, o time luso derrotou o Ypiranga na partida de desempate (uma vez que o campeonato era disputado em pontos corridos e as duas equipes empataram no numero de pontos), por 5×2, e conquistou seu primeiro título paulista.

1936: Bi Campeão
Vivendo um dos melhores momentos de sua história, a Lusa conquistou o Bi Campeonato Paulista, mais uma vez goleando o Ypiranga na partida decisiva.

Nessa oportunidade, os dois times, que estavam empatados no numero de pontos, se enfrentaram na última rodada do estadual, com vitória da Lusa por seis a um. O atacante Carioca, da Portuguesa, foi o artilheiro da competição, com 19 gols marcados.

Tri Fita Azul do Futebol Brasileiro
Durante a década de 1950, como não haviam competições internacionais oficiais, o jornal “A Gazeta Esportiva”, um dos mais populares na época, premiava os clubes brasileiros que ficassem, pelo menos, 10 jogos invictos nas suas excursões internacionais.

Essa premiação ganhou o nome de Fita Azul e recebia a mesma importância que o Mundial Interclubes tem atualmente.

A Portuguesa é o clube brasileiro com mais conquistas da Fita Azul. Contando com uma das melhores equipes da história do futebol mundial, com jogadores como Djalma Santos, Brandãozinho, Julinho Botelho e Pinga, a Rubro Verde conquistou-a em 1951, 1953 e 1954.

Entre as principais glórias da Tri Fita Azul estão o triunfo sobre Atlético de Madrid, considerado como o melhor time do mundo naquela época, que rendeu a conquista da Taça San Isidro, bastante prestigiada no futebol europeu.

Rio São Paulo 1952: A primeira conquista.
Um dos maiores clubes do estado, a conquista do Rio São Paulo marca o fortalecimento da Lusa com um dos maiores clubes do país.

Empatada em numero de pontos com o Vasco da Gama, a Portuguesa enfrentou os cariocas em duas partidas de desempate. No primeiro jogo, vitória por 4×2, em São Paulo. Na partida de volta, no Maracanã, um empate em dois a dois deu o título para a Rubro Verde.

Rio São Paulo 1955: A taça é nossa mais uma vez
Após ceder vários jogadores para a seleção brasileira que disputou a Copa do Mundo de 1954, na Suíça, a Portuguesa mais uma vez mostrou ao país a força de seu futebol.

Após empatar em número de pontos com a equipe do Palmeiras, a Lusa decidiu o título da competição inter-estadual em dois jogos contra o rival paulistano.

No primeiro jogo, empate em 2×2. Na finalíssima, vitória por dois a zero, que garantiu a conquista do segundo título do Rio São Paulo.

Construção do Canindé: A realização de um sonho
O sonho começou a se tornar realidade em 1956, quando a Portuguesa adquiriu o atual terreno do Canindé, que fora propriedade da família Whadi Sadi.

No inicio, as arquibancadas eram de madeira e, como o estádio era cercado por lagoas, recebeu o carinhoso apelido de “Ilha da Madeira”.

Em 1971, na gestão do presidente Dr. Oswaldo Teixeira Duarte, tem início o projeto para a construção do atual Canindé.

Um ano depois, contando com o apoio da colônia portuguesa de São Paulo, a idéia de um novo estádio sai do papel e se torna realidade.

A inauguração do Estádio Independência, que, através de uma decisão do conselho do clube, passou a se chamar Estádio Dr. Oswaldo Teixeira Duarte no ano de 1984, aconteceu em fevereiro de 1972, com um amistoso vencido pela equipe do Benfica, por três a um.

Campeonato Paulista 1973: O time que parou Pelé
Campeã do segundo turno, a Lusa enfrentou o Santos na grande final do Campeonato Paulista, que foi disputado em jogo único, no Estádio do Morumbi.

Após um empate de 0x0 no tempo normal, a partida seguiu para a prorrogação, onde aconteceu o primeiro lance polêmico da decisão.

Aos 13 minutos do segundo tempo, o árbitro Armando Marques anulou um gol legal da Portuguesa, anotado pelo atacante Cabinho, mas que foi erroneamente assinalado como impedimento.

Na seqüência, o encontro foi para a decisão por pênaltis. O árbitro encerrou a disputa quando a equipe do Santos vencia por 2×0 e teria mais duas cobranças para fazer. Em protesto, a Lusa abandonou o estádio. Com isso, a solução foi dividir o título entre as duas equipes.

Campeonato Paulista 1985
Nesse ano a Portuguesa teve uma excepcional atuação no Paulistão, conquistando o Vice Campeonato, aonde perdeu somente 4 partidas dos 36 jogos do primeiro e segundo turnos.

O adversário da grande final foi a equipe do São Paulo, que contava com a grande geração dos “Menudos do Morumbi”.

Campeonato Brasileiro 1996: O ano em que o país se pintou de verde e vermelho
Após se classificar entre os oito primeiros colocados da etapa inicial, o time luso encantou o Brasil ao eliminar Cruzeiro (líder da primeira fase) e Atlético-MG na fase de mata-mata.

Contando com apoio de torcedores do país inteiro, a Rubro Verde encarou o Grêmio na grande decisão. Na partida de ida, disputada no Estádio do Morumbi, vitória lusitana por dois a zero.

Já na partida de volta, no Estádio Olímpico, os gaúchos devolveram o placar. Como havia feito melhor campanha na primeira fase, o Grêmio conquistou o Campeonato Brasileiro daquele ano.

Apesar da derrota, o time luso fez história no futebol brasileiro e revelou craques como o zagueiro César Augusto, o meia Zé Roberto e o atacante Rodrigo Fabri, que também brilharam no futebol europeu.

Paulistão 1998: O título que tiraram de nós
Após ser vice-brasileira em 1996, a Portuguesa ainda vivia um bom momento e a grande fase foi demonstrada no Campeonato Paulista 1998. Após um mau começo, o time luso arrancou no Paulistão e assegurou uma vaga na semi-final da competição estadual.

O adversário foi a equipe do Corinthians, sendo a vaga para a final disputada em dois duelos realizados no Estádio do Morumbi. No primeiro jogo, com um gol do atacante Ailton, a Lusa empatou com os alvinegros em um a um.

Já no segundo jogo, a Lusa começou melhor e saiu na frente com Ailton, mas, ainda no primeiro tempo, o árbitro Javier Castrilli assinalou um pênalti inexistente do atacante Evair no colombiano Rincón, que foi convertida pela equipe do Parque São Jorge.

Na etapa final, a Portuguesa seguia jogando melhor e o atacante Da Silva anotou o segundo tento luso. Entretanto, quando todos pensaram que a Lusa já estava na final, o árbitro argentino marcou erroneamente um toque de mão do zagueiro César dentro da área, aos 49 minutos. A péssima atuação do árbitro argentino ganhou espaço em toda a mídia nacional e foi comentada por torcedores de todas as equipes, que concordavam que a Portuguesa foi a verdadeira vencedora da partida.

Os corintianos converteram a cobrança de pênalti e garantiram vaga na grande final, que foi vencida pelo São Paulo.

No segundo semestre de 1998, a Lusa fez grande campanha no Brasileirão, chegando a semi-final da competição nacional. Na ocasião, contra o Cruzeiro, a Portuguesa registrou o recorde de público do Estádio do Canindé, quando contou com o apoio de mais de 25 mil lusos.

O renascimento luso
Escapando do rebaixamento para a Série C na última rodada do Campeonato Brasileiro, com a vitória sobre o Sport, em plena Ilha do Retiro, a Portuguesa deu início a uma espécie de renascimento. Na gestão do presidente Manuel da Conceição Ferreira (Manuel da Lupa) e com apoio de toda sua diretoria, o clube conquistou da Série A2 do Campeonato Paulista e o retorno à elite do futebol brasileiro.

Sob o comando do técnico Vagner Benazzi, o time luso fez uma campanha impecável no Campeonato Paulista e deu a sua primeira volta olímpica no Estádio do Canindé, após a vitória sobre o Rio Preto, por quatro a zero, no dia 06 de maio de 2007.

Embalada pelo triunfo no estadual, a Portuguesa entrou com tudo na Série B e, após um fraco começo, se firmou entre os fortes candidatos ao acesso, que ocorreu faltando três rodadas para o fim da competição, no duelo contra o Coritiba, no Estádio Couto Pereira, no dia 13 de novembro.

A festa do retorno luso aconteceu na última rodada do Brasileiro, quando a Rubro Verde recebeu o Criciúma, em um Canindé lotado, e bateu os catarinenses por três a um.

Completando hoje 88 anos, o clube pode não colecionar uma quantidade grande de títulos, mas tem uma torcida apaixonada que segue o time com coração de leão.

Parabéns LUSA. Para mim você será sempre um time campeão.

Compartilhe nas redes sociais:

2 Comentário(s)

Deixe um Comentário