Censura

Rússia veta anúncio que nega existência de Papai Noel

Ded Moroz.jpg

Autoridades da Rússia proibiram uma propaganda de televisão que nega a existência do Ded Moroz, “Papai Gelo” (em tradução livre) uma versão russa do Papai Noel. O agência nacional anti-monopólios, que regula a propaganda no país, afirmou que o anúncio da rede de lojas de eletrônicos Eto desrespeita uma lei que proíbe que os pais sejam desacreditados frente aos filhos.

A propaganda mostra um homem com barba por fazer, vestindo as roupas do Papai Noel e falando diretamente para a câmera que não é o Papai Gelo quem traz os presentes, mas uma loja – no caso, a loja de eletro-eletrônicos on-line Eto. A peça termina com a frase “tudo para chocar você”.

O vice-diretor do serviço anti-monopólio Andrei Kashevarov disse que o anúncio sugeria “que os pais não estão falando a verdade para os filhos quando dizem que o Papai Gelo existe. Desta forma, a propaganda induz a relações negativas entre as crianças e seus pais”.

A rede de lojas de eletrônicos Eto defendeu a propaganda e alegou que seu público alvo são pessoas acima de 25 anos de idade. Mas, na Rússia, não existe limites de horário para a exibição de propagandas, e esta vinha sendo exibida há um mês.

A questão ficou ainda mais urgente com a aproximação do Ano Novo, que é quando as crianças russas recebem os presentes do Papai Gelo.

Em 2006, outra loja, a Red Q, foi censurada devido a uma propaganda que mostrava crianças atirando bolas de neve contra o Papai Gelo, que as autoridades consideraram ser uma exibição humilhante.

A lei russa que regulamenta propagandas proíbe que “pais e educadores sejam desacreditados, prejudicando a confiança da criança neles”.

Fonte: Invertia

Compartilhe nas redes sociais:

Incluir comentário

Deixe um Comentário