Marcas e Mascotes

Unibanco | História da Marca

logo_unibanco.jpg

Em 27 de setembro de 1924, uma carta patente do governo federal do Brasil autoriza o funcionamento da seção bancária da Casa Moreira Salles, uma das mais importantes lojas de comércio de Poços de Caldas, Minas Gerais, fundada pelo comerciante João Moreira Salles em 1918. A data marca o início da trajetória de sucesso de 80 anos do Unibanco, terceiro maior grupo financeiro privado do Brasil. Em 1931, a seção bancária da Casa Moreira Salles é transformada em uma instituição independente: a Casa Bancária Moreira Salles. A partir daí torna-se, durante uma década, financiadora de destaque de empreendimentos da região, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico local.

Com a prosperidade dos negócios, surge, em julho de 1940, o Banco Moreira Salles, resultado da fusão entre a Casa Bancária Moreira Salles, o Banco Machadense e a Casa Bancária de Botelhos. Começa a expansão das atividades e a expansão do Banco Moreira Salles, que deixa, então, de ser um banco regional do sul de Minas Gerais. São inauguradas as agências do Rio de Janeiro (então capital federal), em abril de 1941, e de São Paulo, em julho de 1942. Já em 1945, com cinco anos de trajetória, a instituição contava com uma rede de 34 unidades, entre matriz, sucursais e agências. Após 10 anos de atividade, no final de 1950, esse número sobe para 63. O Banco Moreira Salles ultrapassa suas barreiras geográficas e acompanha o processo de modernização, urbanização e industrialização característico do Brasil daquela época. Em 1964 o Banco dispunha de 191 agências.

Em 1966, o Banco Moreira Salles, junto com sócios como a Deltec, a Light and Power Co. e o grupo Azevedo Antunes cria o Banco de Investimento do Brasil (BIB). A criação do BIB decorreu da absorção de duas organizações com tradição no mercado de ações no país: a Deltec e o Ibec (International Basic Economy Corporation, do grupo Rockefeller). A partir daí o Grupo Moreira Salles se destaca por uma característica que iria permear seus negócios no decorrer do tempo: aliar-se à excelência e à experiência já existentes, atraindo talentos. Em maio de 1967, o Banco se funde com o Agrimer, Banco Agrícola Mercantil, e surge a sua nova denominação: União de Bancos Brasileiros S.A. (UBB). A UBB nasceu com 8.570 funcionários, 333 agências (a maior rede do Brasil naquela época) e mais de 1 milhão de correntistas, distribuídos em nove estados além do Distrito Federal. Dois anos depois estava no segundo lugar no ranking de bancos comerciais privados do Brasil.

Em 1970, há a segunda grande incorporação, com a absorção do Banco Predial do Estado do Rio de Janeiro. Com ela, um novo perfil institucional é instaurado: a popularização como banco de varejo. Pouco depois, em 1972, outro fato importante ocorre: a UBB assume o controle do BIB comprando as participações da Deltec (20%) e do Ibec (19%). Para ilustrar essa integração e facilitar a visão de todas as empresas como um grupo assim como a sua comunicação com o público, as 15 empresas passam a ter uma só denominação a partir de 1975: Unibanco. Chega ao mercado o nome que nos últimos 30 anos tornou-se sinônimo de tradição, experiência, excelência em produtos e serviços, compromisso com clientes, crescimento e transparência.

Em 1983 uma associação muda o perfil do setor de seguros no Brasil: a Unibanco Seguradora junta-se à Sul América, líder do setor, por meio de uma troca de participações. Nasce a Sul América Unibanco Seguradora, contando com toda a rede do Unibanco para consolidar sua liderança. No mesmo ano, em Curitiba, as três primeiras unidades do Banco 24 Horas são abertas ao público. Nelas o cliente podia realizar saques, depósitos ou consultar dados a qualquer hora. No Brasil, o 24 Horas Unibanco foi pioneiro em seu gênero. Oito anos depois, em 1991, nasce o Banco 30 Horas, marca de sucesso incontestável do Unibanco. O novo serviço tornava o Unibanco disponível a seus clientes por 30 horas: seis na agência e outras 24 ao alcance do telefone. Hoje o serviço conta com diversos canais alternativos, como internet, celular, fax, entre outros. Nesta década o Unibanco alcança o patamar de mais de 18 milhões de clientes. Em 1993, inaugura-se um novo Centro de Processamento de Dados, aumentando em 40% a capacidade de processamento do Unibanco. O investimento realizado pelo banco nessa ampliação lhe garantia o compromisso com a crescente qualidade de seus serviços e já antevia o crescimento substancial que ocorreria em suas operações. Um dos fatores que contribuíram para tal crescimento foi a aquisição de parte dos ativos, em 1995, do Banco Nacional S.A., operação sem precedentes no mercado brasileiro. Com ela o Unibanco passou a ter uma rede de 1.446 dependências no Brasil, cerca de 2.1 milhões de clientes e uma base de 1.4 milhão de portadores de cartão de crédito.

Em 1996, o Unibanco adquire 50% da Fininvest, financeira com grande experiência no segmento de crédito direto ao consumidor e pertencente ao grupo Icatu. No ano seguinte, dois outros movimentos importantes ocorrem: o Unibanco lança suas ações na NYSE, tornando-se o primeiro banco brasileiro a negociar seus títulos na bolsa de Nova York e associa-se com o grupo financeiro AIG, American International Group. Em 1999 foi o primeiro banco a oferecer internet banking. O ano de 2000 termina com marcas históricas para o Unibanco: 1.623 pontos de atendimento no Brasil, crescimento do lucro líquido no ano de 25% e aumento de 50% na base de clientes. Isso se deve em parte ao crescimento orgânico, mas também é resultado da aquisição do controle integral da Fininvest, do Credibanco e do Banco Bandeirantes. Com a compra do Bandeirantes, por meio de uma emissão de ações, o Unibanco passou a contar com um novo sócio estrangeiro: a Caixa Geral de Depósitos. O maior grupo financeiro de Portugal, que controlava o Bandeirantes, passou a deter 12.3% do capital total do Unibanco. O novo milênio começou com novas parcerias: com a Globex/Ponto Frio, por meio de seu banco InvestCred (atualmente PontoCred); com o Magazine Luiza, formando o LuizaCred. Nessas duas operações no segmento de crédito direto ao consumidor, o Unibanco detém 50% de participação e a gestão dos negócios. Não faltaram motivos para as comemorações dos 80 anos do Unibanco, em 2004. O ano começa com a compra do HiperCard, cartão de crédito private label e principal meio de pagamento das lojas Bompreço, aceito em mais de 70.000 estabelecimentos comerciais do Nordeste.

Casal Unibanco
Um dos clássicos da publicidade brasileira, o “Casal Unibanco” foi inspirado nas sitcom norte-americanas, e criado pela dupla de publicitários Washington Olivetto e Gabriel Zellmeister em 1992, quando o marido “Paulo Roberto” era vivido pelo ator Felipe Pinheiro e a esposa “Maria Célia”, pela atriz Kátia Bronstein. Um ano depois, no auge do sucesso da campanha, Pinheiro morreu de infarto, aos 32 anos de idade. Diante da dificuldade de substituí-lo, a agência W/Brasil resolveu deixar que o público escolhesse quais atores deveriam encarnar o Casal Unibanco a partir do primeiro semestre de 1994. Dois casais concorrentes foram mostrados na televisão, e uma pesquisa do Instituto Gallup apontou como preferido o formado por “José Pedro” (Claudio Gonzaga) e “Ana Lúcia” (Thereza Freire). Apesar da iniciativa interativa, Cardoso e Byington sofreram com a falta de empatia e foram substituídos em abril de 1995 por uma nova dupla: “Renata” (Drica Moraes) e “André Luis” (João Camargo) — o mais duradouro Casal Unibanco, que permaneceu no ar por seis anos, recuperando o sucesso inicial dos personagens. Em março de 2001, estrearam como protagonistas da série Deborah Bloch e Luís Fernando Guimarães, sendo que o marido foi trocado um ano depois, por Miguel Falabella. Em seus 12 anos de vida, os cinco casais encenaram mais de 100 comerciais, criados pela W/Brasil e pela AlmapBBDO, e foram definitivamente aposentados no início de 2005, quando o Unibanco entregou sua conta para a F/Nazca S&S, dando início a uma nova fase em sua comunicação com a campanha “Nem parece banco”.

Os slogans
Nem parece banco. (2005)
O único 30 horas com você. (2000)
Bancando seus sonhos. (final década de 90)
O banco único. (década 90)

A marca no Brasil
O Unibanco é o terceiro maior banco privado brasileiro, possui mais de 1.500 agências, mais de 19 milhões de clientes, 16 mil pontos de atendimentos, mais de 7 mil caixas eletrônicos e cerca de 27 mil funcionários.

exclamacao_unibanco.jpg

Fonte: Mundo das Marcas flag_brasil.gif.

Compartilhe nas redes sociais:

Incluir comentário

  • Fique muito surpreso como comessou a história do Unibanco
    Do Sul de Minas Gerais um comerciante João Moreira Salles,da cidade Poços de Caldas ele ja era um homem de visão, que queria a Casa Bancária Moreira Salles, e hoje o Unibanco é o terceiro maior banco privado brasileiro com mais de 19 milhões cliente com uma trajetória de sucesso de 84 anos do Unibancode, que dia 27 de setembro de 2009, completa os 85 anos de excelência e satisfação aos seus cliente em 1º lugar.

  • Fique muito surpreso como comessou a história do Unibanco
    Do Sul de Minas Gerais um comerciante João Moreira Salles,da cidade Poços de Caldas ele ja era um homem de visão, que queria a Casa Bancária Moreira Salles, e hoje o Unibanco é o terceiro maior banco privado brasileiro com mais de 19 milhões cliente com uma trajetória de sucesso de 84 anos do Unibanco, que dia 27 de setembro de 2009, completa os 85 anos de excelência e satisfação aos seus cliente em 1º lugar.

Deixe um Comentário