Notícias da Web

Programa busca imagens na web para retocar fotografias

James Hays e Alexei Efros, da Universidade Carnegie Mellon, em Pittsburgh, desenvolveram um novo algoritmo (método de cálculo) que usa páginas como Flickr para ajudar a descobrir fontes de luz, posição da câmera e composição da fotografia. Usando estas informações a ferramenta então busca por objetos, como paisagens ou carros, que combinem com a fotografia original, para substituir o elemento não desejado. As partes a serem removidas podem ser caminhões passando por uma paisagem ou até mesmo ex-namorados ou ex-namoradas.

Para encontrar elementos que combinem, o algoritmo procura em um banco de dados de 2,3 milhões de imagens escolhidas na página especializada Flickr.

Segundo Hays, que mostrou o projeto em uma conferência de gráficos para computador, a Siggraph, em San Diego: “Procuramos por outras cenas que têm, da maneira mais aproximada possível, as mesmas informações semânticas para a cena”. Neste sentido, “semântico” significa composição. Então uma foto com um lago em primeiro plano, colinas agrupadas e o pôr-do-sol ao fundo, tem, segundo o algoritmo, uma “semântica” diferente de uma foto de uma cidade com o rio atravessando seu território.

A análise do banco de dados descarta 99,9% das imagens e separa as 200 mais semelhantes para mais análise. Em seguida, o algoritmo procura nestas 200 para ver se elas têm elementos, como colinas ou até prédios do tamanho certo, além de cores para preencher o buraco deixado pela imagem retirada. As partes úteis das 20 melhores fotos são então cortadas e adicionadas à imagem sendo editada, para que as melhores opções sejam escolhidas.

Segundo Hays, os primeiros testes mostraram que apenas 30% das imagens alteradas podiam ser notadas.

Outro objetivo é usar imagens baseadas na internet para criar um banco de imagens de objetos que, uma vez inseridos em uma fotografia, pareçam convincentes. Para gerar este banco de imagens, a equipe pegou a biblioteca de imagens online Label Me, usando vários objetos como pessoas, árvores e carros. O desafio é descobrir quais imagens desta biblioteca serão úteis e convincentes quando colocadas nas fotografias.

O programa, desenvolvido em parceria com a Microsoft Research, analisa cenas para descobrir a orientação dos objetos e fontes de luz, por meio de tons de cores, dividindo a imagem em três regiões. Com estes dados, o algoritmo procura fotos no banco de imagens que foram tiradas de posições semelhantes e com níveis semelhantes de píxel.

O grupo criou uma interface para o banco de imagens para que as pessoas possam escolher quais elementos querem adicionar a uma foto.

Veja abaixo uma montagem de como o programa funciona:

Fonte: BBC

Compartilhe nas redes sociais:

Deixe um Comentário