Promoções

Nestlé volta com a promoção “Torcer faz bem”

A promoção “Torcer faz bem” está de volta. Dois anos após lançar a ação que tem como objetivo promover a volta das famílias aos estádios, a Nestlé decidiu retomar o projeto para esta temporada. Ao todo, 80 partidas do Campeonato Brasileiro farão parte da ação.

A Publicis Brasil será responsável pela campanha de divulgação da “Torcer faz bem”. Em cada praça haverá o apoio da mídia local, com divulgação em rádio e TV, com ações de merchandising em programas de esporte e variedades.

Em troca de embalagens fechadas de produtos Nestlé, os torcedores poderão pagar aproximadamente 25% do valor integral do ingresso. Todo o material arrecadado será doado a entidades assistenciais mantidas pela Sociedade São Vicente de Paulo.

Os jogos pré-definidos que farão parte da ação devem acontecer apenas nos finais de semana e feriados. O processo para a troca dos produtos Nestlé vai começar uma semana antes de cada jogo e será limitado a quatro ingressos por pessoa.

+ informações podem ser obtidas no site nestle.com.br/torcerfazbem

Compartilhe nas redes sociais:

Incluir comentário

  • alguns lugares vendedores estão escodendo ingressos para vender para cambista isso é um abisurdo. É uma falta de respeito com os torcedores façam alguma coisa . carrerfor do norte shopim

  • Reclamação:

    Primeiramente, saliento que este mesmo email será repassado para a CBF, FIFA, Federação Paulista de Futebol, Palmeiras Esporte Clube, SporTV, G1, Polícia Militar do Estado de São Paulo, Secretaria de Segurança Pública do mesmo Estado, PROCON-SP, Associações de Defesa do Consumidor e para a Nestle.

    Indignação!

    Acho que esta é a melhor expressão para mim, torcedor de um time brasileiro, depois do fato pelo qual passei no último sábado (20.10.2007). No momento referido fui adjunto à minha namorada assistir ao jogo Palmeiras vs Paraná no Estádio Palestra Itália. Não tinha ingressos porque todos (leia-se bem, TODOS!) haviam estranhamente se esgotados no primeiro dia que foram disponibilizados aos torcedores*. Muito estranho 24.000 (VINTE E QUATRO MIL INGRESSOS) terem se esgotados em poucas horas, conforme mesmo disse uma funcionária da empresa.

    *Relembra-se aqui em se estar falando da campanha Torcer Faz Bem, organizada pela empresa Nestle, aonde cada torcedor poderia trocar 3 produtos da marca por um ingresso.

    Na esperança de poder comprar ingressos na área com cadeiras na hora do jogo, qual não foi minha surpresa ao descobrir que não havia mais ingressos para serem vendidos.

    No entanto, havia dezenas, não, centenas de “cambistas” vendendo ingressos promocionais na frente do estádio. Não é maximizar o problema, mas havia cambistas com blocos de ingressos, literalmente com 100, 200 ingressos cada vendedor! E o absurdo é que apenas eles tinham ingressos dado ao movimento de torcedores sem e comprando deles!

    Cada ingresso era vendido por R$ 30,00, R$ 40,00 dada à procura por eles! Um absurdo se comparado com o preço real que era o valor da promoção (cerca de R$ 6,00, R$ 7,00).

    Indignado com tamanha desonra a este cidadão, procurei um policial militar e comentei que haviam cambistas monopolizando a venda dos ingressos, porém este nada fez!!

    Só que este não é um fato isolado. No jogo Palmeiras vs Grêmio aconteceu o mesmo problema (só que não havia a promoção da Nestlé Torcer Faz Bem). Os ingressos já haviam sido esgotados cerca de 3 horas antes do jogo (preço de R$ 20,00 cada), mas dezenas de cambistas possuíam milhares de ingressos, sendo estes vendidos por R$ 30,00, R$ 40,00 cada.

    Pergunto-me: como organizar um campeonato descente, chamar os torcedores aos estádios se eles nem ingressos conseguem comprar? Como permitir que este estelionato seja praticado aos olhos de nossos dirigentes (muitas vezes sob a tutela destes), aos olhos daqueles que deveriam coibir tal prática? Como o Brasil quer organizar uma Copa do Mundo se não consegue nem administrar a venda de ingressos de um campeonato nacional?

    Sujeitei-me a pagar R$ 40,00 por um ingresso. A indignação não é pelo dinheiro, mas sim pela sujeição, pela ofensa à minha pessoa, por me fazer aceitar uma prática nociva sendo que tudo isto poderia ser evitado.

    O Estatuto do Torcedor (Lei nº 10.671 de 2003), em seu art. 20, §5º, a VENDA DOS INGRESSOS EM PELO MENOS 05 PONTOS DE VENDA e, em seu art. 21 que “a entidade detentora do mando de jogo implementará, na organização da emissão e venda de ingressos, sistema de segurança contra falsificações, fra’udes e outras práticas que contribuam para a evasão da receita decorrente do evento esportivo”.

    Fabiano Scuzziato.

    [email protected]

  • Assunto: INDIGNACAO!!!
    E REVOLTANTE ,TERMOS CONHECIMENTOS QUE EMPRESAS TAO BEM ESTRUTURADAS E TAO FORTE, FINANCEIRAMENTE,TER A CARA DE PAU ,DE FICAR PROCURANDO QUALQUER COISA INSIGNIFICANTE PARA QUE SEUS REPRESENTANTES,(advogados da empresa) DIGAM COMO JUSTIFICATIVA PARA NAO ASSUMIREM A FALTA DE ORGANIZACAO E O DESRESPEITO COM A MAIOR TORCIDA DO MUNDO(TORCIDA DO FLAMENGO).INDEPENDENTE DE O EPISODIO MAIS TRAGICO OCORRIDO EM NOVEMBRO DE 2007, JA HAVIAM OCORRIDOS FALHAS E MUITAS RECLAMACOES CONTRA A “NESTLE` POR OUTROS TIMES A NIVEL BRASIL.(COM O PATROCINIO TORCER FAZ BEM)POR ISSO EM MEU NOME E DE TODOS NOS ,QUE ADORAMOS FUTEBOL E FAZEMOS COM QUE, ELES EXISTAM QUE TEM QUE, SER REVISTA ESSE PATROCINIO OU ACORDO DA NESTLE QUE POR TRAZ DE TUDO ISSO SO VISA O SEU ENRIQUECIMENTO ,AS VENDAS NOS MERCADOS ,E NAO SE PREOCUPAM DE QUE FORMA SERA REPASSADO ESSES INGRESSOS PARA NOS ,QUE COMPRAMOS E COLABORAMOS PARA ESSE GRANDE ESPETACULO QUE E O FUTEBOL . ALGUMA COISA ESTA ERRADA PORQUE NAO SOMOS LOUCOS E NEN A EMPRESA E LOUCA DE PUBLICAR NA MIDIA O DESASTRE QUE OCORREU No PERIODO DESDE O DIA 18/11/2007 a 25/11/2007 QUANDO FOI ANUNCIADO PELOS MEIOS DE COMUNICACAO A TROCA DE INGRESSOS POR PRODUTOS DA NESTLE,QUE NO CASO O NESTON SO QUE POR DESORGANIZACAO DA NESTLE E POR FALTA DE FISCALIZACAO DA MESMMA OS SUPERMERCADOS VENDIAM OUTROS PRODUTOS AFIRMANDO POSTERIORMENTE FAZER A TROCA ,O QUE NAO OCORREU PORQUE OS INGRESSOS INESPLICAVELMENTE SUMIRAM SE REALMENTE O CASO NAO FOSSE VERDADEIRO. E NO FINAL AO INVEZ DA NESTLE RECONHECER QUE FALHOU AINDA POE, EM QUESTAO, A IDONEIDADE DAS PESSOAS , TENDO A DISPLICENCIA DE DIZER QUE TANTO O CUPOM DAS COMPRAS NOS SUPERMERCADOS COMO A SENHA ADQUIRIDA NAS ENORMES FILAS DURANTE TODA UMA NOITE E O DIA SEQUINTE NAO SIGNIFICA QUE O FATO TENHA OCORRIDO , AINDA DIZENDO QUE CIDADOES DE BEM ,TRABALHADORES SAO MENTIROSOS E ARMADORES SE TEM ALQUEM NESSA HISTORIA TODA ,QUE TENHA AGIDO DE MA FE E DESORGANIZACAO E SO VISOU OS SEUS INTERESSES DESRESPEITANDOS OS TORCEDORES COMO MARGINAIS FOI A GRANDE EMPRESA NESTLE E OS SUPERMERCADOS SABENDO QUE A DESORGANIZACAO E TOTAL E NO FINAL FICA O PREJUIZO COM OS MAIS FRACOS ELES MENTEM INVENTAM PARA VENDER OS PRODUTOS DA NESTLE , TEVE MERCADO VENDENDO NESCAU E AFIRMANDO QUE NA HORA DA TROCA ACEITARIA FAZER A TROCA , EM ALGUNS ACABOU O NESTON E ELES GARANTIAM QUE O MUCILON (OUTRO PRODUTO DA NESTLE)SERVIA . E O POVO COM INFORMACOES DESENCONTRADAS ACREDITAVAM EM TUDO QUE FALAVA .NO MERCADO “`EXTRA DA BARRA “HOUVE ISSO ,QUANDO O NESTON ACABOU ELES COMECARAM A VENDER O, MUCILON NO JUGAR DO NESTON AFIRMANDO QUE ELES TERIAM OS INGRESSOS E ELES MESMOS TROCARIAM.NO FINAL ELES SUMIRAM COM OS INGRESSOS E ALGUNS EM OUTROS POSTOS DE TROCAS CONSEQUIRAM TROCAR NAO SO O NESTON ,COMo TAMBEM O TAL MUCILON,A CULPA TODA E SEM PRE DA NESTLE , QUE TERIAM CONDICOES DE COLOCAR EM CADA LOCAL DAS VENDAS PESSOAL PARA FISCALIZACAO,TANTO PARA AS VENDAS , COMO PARA AS TROCAS DOS INGRESSOS,POR FAVOR AQUELES QUE PROCURARAM COMO EU A JUSTICA POR SE SENTIREM LESADOS , QUE ESSA JUSTIÇA SE FACA , PARA QUE HAJA MUDANÇA NESSAS CAMPANHAS , COM RESPEITOS AO POVÃO , PORQUE SE NÃO FOSSEMOS NOS, NADA DISSO EXISTIRIA;NEM FUTEBOL , NEM NESTLE , NEM FLAMENGO ETC QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA , QUE A NESTLE DESSA VEZ NÃO FIQUE IMPUNI. E QUE OS JUIZES,OS DEFENSORES,OS PROMOTORES ,O MINISTERIO PUBLICO E INTERVENHAM A NOSSO FAVOR,POIS FMOS ENGANADOS, LUDIBRIADOS, DESRESPEITADOS E SERA SE COM TODA ESSA REPERCUSSAO DO ERRO COMETIDO PELA `NESTLE` ELA VAI FICAR IMPUNI.TOMEM CIENCIA DESSES FATOS E APLIQUE NA “NESTLE“ O CODIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR ART.30 AO 38.PUNICAO PARA A DESORGANIZACAO DA “NESTLE Voltar para “Enviadas”
    Anterior

  • seu dia-a-dia!
    Brasil, 19 a 25 de março de 2.002 (NOS BRASILEIROS MERECEMOS)

    SE CADE PERMITIR COMPRA DA GAROTO,
    NESTLÉ E LACTA VÃO MONOPOLIZAR 91% DO MERCADO !!

    Já sob os ventos do Outono, que começa nesta quarta (20); provavelmente no Dia do Cacau, que se comemora na próxima terça (26); mas coincidente e justamente na semana da Páscoa, a Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça promete dar o primeiro parecer sobre a anunciada venda da capixaba Garoto para a suíça Nestlé. Essa análise inicial da SDE vai servir de base para o julgamento do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) no sentido de aprovar — e em que bases — ou vetar a transação.

    O problema do negócio milionário, que pode chegar a casa de 1 bilhão de reais e que envolve a última grande empresa nacional do ramo de chocolates e o conglomerado líder mundial no ramo alimentício, não é a questão da manutenção da qualidade. É, sim, a ameaça à saudável concorrência e o inevitável desrespeito aos direitos do consumidor. Neles incluído, principalmente, o direito ao preço justo.

    A Nestlé é reconhecida mundialmente por fabricar não só chocolates mas dezenas de alimentos de excelente sabor, higiene e qualidade. Basta abrir a despensa de qualquer casa de classe média-baixa para cima para se encontrar pelo menos meia dúzia de produtos Nestlé. O problema reside na alta concentração que ela passaria a deter: cerca de 55% do imenso mercado brasileiro de chocolates, estimado em cerca de 400 mil toneladas/ano. Imenso e oligopolizado…

    …apenas os três maiores fabricantes de chocolate detêm 91% do mercado. A Lacta — que outrora foi brasileira, da família do ex-governador paulista Ademar de Barros e que acabou vendida pelos filhos, com a morte do patriarca, para um grupo estrangeiro — é a atual líder com 35,4% , seguida da própria Nestlé com 31,6% e da Garoto com 24% .

    De oligopolizado, o que já e ruim, o nosso chocolate, em barra ou pó, complemento alimentar de cada dia; e o ovo de Páscoa anual, com que celebramos uma nova vida na ressurreição de Cristo, caminha para um péssimo bi-monopólio entre Nestlé e Lacta. E o problema pode se agravar caso a Nestlé — num lance perfeitamente factível, porquanto a gigante mundial dos alimentos tem poder de fogo para isso — resolva fazer uma proposta irrecusável para adquirir, seja diretamente ou através de subsidiárias, o controle acionário da Lacta. A Nestlé dominaria, assim, 91% do mercado brasileiro. O que seria ainda mais desastroso para o consumidor.

    Voltar para “Enviadas”
    Anterior

  • Assunto: indenizacao justa

    Defesa do Consumidor – Uma Década
    Por Antonio A. Mallet

    Avançamos? Não há dúvida, mas muito falta a ser feito, para que o consumidor brasileiro seja efetivamente respeitado. Ele já conhece os seus direitos e já conta com instrumentos para coibir os abusos dos fornecedores; já dispõe de alguns órgãos para encaminhar as suas reclamações, em nível administrativo ou mover ações judiciais, se a situação assim o exigir. O Judiciário, em seu papel, já reconhece a violação do direito do consumidor e condena o infrator. O que falta, então? A efetiva punição!

    Nas decisões sobre matéria consumerista, ao longo desta última década, observa-se que o Judiciário já condena as empresas que não respeitam o consumidor, aquelas negligentes e descuidadas, prepotentes e arrogantes, para quem o cliente é apenas fonte de lucro, jamais merecedor de respeito e cuidado; entretanto, impõe o pagamento de indenizações pífias, algumas até irrisórias, que se constituem em verdadeiros prêmios ao infrator.
    É ainda necessário que o caráter punitivo das indenizações por dano moral seja melhor compreendido pelo Judiciário Brasileiro, pois as grandes corporações, as poderosas instituições financeiras, as gigantescas redes de comércio varejista, as empresas em geral chegam a considerar um prêmio a condenação em valores irrisórios: algumas dezenas de salários-mínimos, como castigo por extraordinários danos causados aos consumidores, que são a fonte de seu lucro e prosperidade.

    Certamente, na ótica de cunho econômico dos maus fornecedores, é mais interessante suportar irrisórias condenações do que investir em melhor estrutura administrativa, treinamento de pessoal, cuidado e respeito para com o consumidor.

    Como avançarmos, então, na luta pelo equilíbrio das relações de consumo, entre consumidor e fornecedor? Que o conceito das

    1 de 2

  • pesadas punições, o exemplary damage, tão bem compreendido, utilizado e eficaz, em países de Primeiro Mundo, seja incorporado pelo Judiciário Brasileiro.

    Quando este tempo chegar, o grande banco não se sentirá recompensado, ao ser condenado ao pagamento de uma indenização de 20 salários-mínimos, por ter transformado o seu honesto cliente em um cidadão de segunda categoria, um pária no meio social, por uma restrição cadastral indevida; a grande rede de supermercados não mais ficará aliviada, ao ser obrigada a indenizar o seu cliente em 50 salários-mínimos, após este ter sofrido sérias lesões, decorrentes de queda em um corredor imundo, na ocasião de suas compras; e as empresas de transporte coletivo não mais comemorarão a condenação em 100 salários-mínimos, pelo dano moral decorrente da morte de um passageiro, destruindo uma vida e uma família. Quinze anos após o advento do Código de Defesa do Consumidor, não temos dúvidas de que muito avançamos, mas também estamos certos de que muito há

    de ser feito, para que realmente haja igualdade entre o ainda frágil consumidor e o poderoso fornecedor de bens e serviços. O equilíbrio desta relação desigual virá por parte do fiel da balança – o Poder Judiciário – através da compreensão do conceito da efetiva punição do infrator. A luta continua!

    ESSE COMENTARIO QUE SIRVA PARA SER APLICADA NESSA GRANDIOSA EMPRESA QUE E A ‘”NESTLE” QUE TIRA ONDA COM O POVO BRASILEIRO.PORQUE E BRINCADEIRA AS PUNICOES , MESMO ASSIM GUANDO OCORREM.VALORES TAO INSIGNIFICANTES QUE A PROPRIA PRESIDENCIA DA “NESTLE’ DEVE ACHAR GRACA,VAMOS MULTAR MAS MULTAR DECENTEMENTE , PARA QUE ESSE PESSOAL QUE TEM O PODER ;PARA DE ZOMBAR E FAZER POUCO CASO DO POVO . QUE SEJA UMA PUNICAO QUE DOA NO BOLSO .POR FAVOR SENHORES JUIZES.

    Voltar 2 de 2

Deixe um Comentário