Coisas Legais de Saber Dicas

Quanto cobrar por um trabalho?

A pergunta mais comum quando temos ao fazer um trabalho freelancer é: Quanto cobrar por um trabalho? Veja dicas de cálculos para ajudar nessa conta.

Por Michel Lent Schwartzman 

Uma das coisas mais difíceis na hora de pensar em um trabalho é saber quanto cobrar por ele, e isso não é uma questão de “feeling”. Quanto vale na realidade a hora trabalhada?

Se você sair cobrando por aí de acordo com o seu “feeling”, pode ser que no final do mês você acabe “feeling” no bolso o estrago de não ter o dinheiro que você precisa.

“E se eu cobrar demais? Melhor pra mim!”. Se você for pelo feeling e cobrar demais, suas chances de perder o cliente para alguém que cobrou corretamente e MENOS do que você são bastante grandes.

Pelo sim, pelo não, cobre direito.

A melhor maneira de se cobrar um trabalho, seja como pessoa física ou como empresa, é baseando seu preço com base na estimativa de horas necessárias para desenvolver o projeto.

Não há tabela de preços, valor de mercado, média que possa responder corretamente a essa pergunta. Cada profissional, cada empresa e cada projeto, vão ter valores diferentes.

A saída é mesmo o preço baseado na estimativa de horas necessárias para a execução do projeto.

Portanto se vamos cobrar por hora, precisamos, antes de tudo, estabelecer o quanto vale essa nossa HORA. Para isso, antes precisamos saber o quanto você (ou sua empresa) CUSTA por mês.

Vamos levar em consideração os seguintes itens. A lista abaixo é apenas uma sugestão, feita para pessoas físicas. Procure fazer a que melhor se adapte à sua realidade.

– Mora sozinho? Qual é o seu custo fixo para MORADIA (luz, gás, água, comida, supermercado, aluguel, TUDO).

– Tem carro? Quanto gasta com ele? Não tem? Quanto você gasta para TRANSPORTE?

– Some o que você gasta com plano de saúde, dentista, quanto você gasta com SAÚDE.

– Quanto você gasta pra se DIVERTIR (cinema, balada, comer fora, viajar).

– Você tem plano de previdência? Quanto você economiza por mês para sua aposentadoria? Lembre-se de economizar sempre alguma coisa para aqueles dias sem trabalho. Quanto você planeja ECONOMIZAR por mês.

– Adicione aqui todo e qualquer outro gasto fixo que você conseguir lembrar.

– Lembre-se dos IMPOSTOS que você precisa pagar e que serão descontados do que você cobrar (a carga varia de cidade pra cidade, mas coloque como base algo perto de 25% se você for pessoa física, ou 20% se for pessoa jurídica, empresa).

Some tudo isso. Não se preocupe com o valor final. Isso é, realmente, o que você PRECISA e QUER pra viver todo mês.

Agora pegue este valor e divida ele por 160. Oito horas por dia é a média de horas trabalhadas no Brasil. 8 x 20 dias por mês (5 dias por semana x 4) é igual a 160. A idéia é simples: se você tiver trabalho durante o mês inteiro, você vai ter dinheiro para tudo o que você precisa. Pronto, você tem o valor da sua hora de trabalho.

O último passo: estime quantas horas você vai levar para fazer determinado trabalho e multiplique pelo valor da sua hora. Parabéns! Você acaba de fazer um orçamento!

Mais algumas dicas.

Poucos clientes gostam de receber a conta depois. Eles querem PAGAR depois, mas querem saber quanto vai custar ANTES. Portanto, como é difícil a gente estimar corretamente quantas horas vamos levar para um projeto, coloque uma margem de segurança de uns 10 ou 20% a mais no número de horas que você imaginou.

Lembre-se também que, em toda negociação, é importante haver alguma margem para o ‘choro’ do cliente. Esse desconto que o seu cliente vai te pedir, não pode ser muito maior do que 10%. Se você oferecer mais do que isso e trabalhar as horas que propôs, no final do mês você vai ter menos dinheiro do que precisa pra viver. Lembra?

“E se o cliente ainda estiver achando caro? Não vou pegar o job?” Nesse caso, apresente uma ‘redução de escopo’. Ofereça uma solução que leve menos horas e que, portanto, vai sair mais barata para o cliente. Se você trabalha menos horas pelo mesmo valor hora, o job vai sair mais barato e você poderá vender o resto das suas horas do mês para outro cliente. Sem prejuízos para nenhum dos lados…

😉

Compartilhe nas redes sociais:

Deixe um Comentário